Conversas Difíceis – Como lidar com elas?

Conversas Difíceis - Como Lidar

Presentes em diversos níveis hierárquicos, as conversas difíceis fazem parte da tarefa da liderança e aparecem como momentos cruciais, representando uma dificuldade, principalmente de condução emocional, por parte dos líderes.

 

O QUE É UMA CONVERSA DIFÍCIL?
o que é uma conversa difícil

As conversas difíceis são basicamente todas aquelas conversas não desejadas.

Na maioria das vezes estão relacionadas a mudanças, seja de um sistema, do CRM, do Planejamento Estratégico, mas podem também ter a ver com um desligamento dentro de um time, situações de feedbacks para um time ou individuais vindas do não alcance de resultados esperados.

Normalmente identificamos a dificuldade na forma como o gestor está lidando emocionalmente com a situação. Para trabalhar o emocional para esses momentos podemos utilizar alguns truques:

  1. Conhecimento Emocional: O primeiro passo é fazer uma análise interna para entender quais sentimentos se apresentam com relação a essa conversa e dar nome a eles para entender, por exemplo, qual é a diferença entre angústia e ansiedade.
  2. Competência Emocional: Entendendo o que está sendo sentido é possível analisar as formas de reação e perceber como aquela questão está sendo lidada.
  3. Inteligência Emocional: O terceiro passo consiste em criar habilidades para trabalhar as próprias emoções de maneira estratégica.

 

Quando é necessário que os colaboradores sintam-se motivados após uma comunicação, por exemplo, o líder deve criar um estado de motivação interno a ele para que seja possível realizar a conversa difícil, fazendo com que as pessoas sintam sua motivação e sejam influenciadas através de sua fala. Chamamos a fase final de Inteligência Emocional pois o gestor criou o sentimento dentro dele e está preparado para comunicar de forma com que aquele sentimento atinja seus colaboradores.

 

COMUNICAÇÃO É UM PROCESSO HUMANOprocesso humano

Toda conversa pode partir da pressuposição de que cada pessoa tem atitudes individuais para suprir necessidades humanas universais.

Na hora de uma conversa é preciso levar em consideração que cada um tem necessidades únicas e diferentes formas de reação, assim como o próprio comunicador e, portanto ele deve saber como se colocar em posição de abertura (denominada vulnerabilidade na CNV), tornando a comunicação mais focada nos seres humanos e menos em processos para desta forma, ganhar maior facilidade ao comunicar o que é necessário.

Há também momentos em que o líder desenvolve grande preocupação para comunicar algo a um colaborador, quando na verdade, este já está esperando. Isto porque faz parte do papel do líder fazer com que os colaboradores entendam os movimentos em que estão dentro da empresa.

Demissões que surpreendem um colaborador mostram que houve falta de comunicação e clareza por parte da liderança no dia a dia do trabalho.

 

U DAS CONVERSAS DIFÍCEIS

Outra metodologia que utilizamos na Rise para falar sobre o tema é a Metodologia U.

Com base na Teoria U, desenvolvida por Otto Sharmer para sistemas e utilizando a teoria da Comunicação Não Violenta, criamos o que chamamos de U das Conversas Difíceis.

O caminho parte de uma situação problema, ou seja, o que precisa ser comunicado. Passa por um mergulho (a descida do U), que seria o entendimento de quais são os sentimentos expostos. E encontra na base o momento que é chamado de presencing, em que há a conexão com a pessoa a quem será direcionada a comunicação. A partir deste momento são propostas novas atitudes, novos comportamentos e o fechamento, de acordo para que partam para a ação.

Essa ferramenta ajuda no entendimento, de forma simples, do caminho que precisa ser feito na hora de ter uma conversa difícil, seja do líder partindo para o liderado, vice-versa ou até mesmo do líder com pares e negociações entre áreas. Simples em sua execução, ela é capaz de criar entendimento e conexão profundos.

 

A MUDANÇA NOS RELACIONAMENTOS

mundança nos relacionamentos

Nossos treinamentos têm como campo de atuação o ambiente e as relações empresariais, no entanto os ensinamentos transferidos são aplicáveis em todos os campos da vida. Muitas vezes ouvimos dos participantes, ao final de um treinamento, que o processo de educação provoca mudanças de relacionamentos também dentro de casa. Isto se dá, porque aprender a lidar com as emoções perante a conversas difíceis implica em uma aprendizagem realmente integral, a qual ajuda na maneira de atuar seja no trabalho, em casa, entre amigos e em diversas situações, o que muda é a forma de enxergar relacionamentos.

 

Temos trabalhado muito esse tema para diferentes níveis hierárquicos de liderança, no entanto esse tema pode ser trabalhado também para baixo. As conversas  difíceis também estão presentes de baixo para cima.

Criamos o conceito desse programa baseado no Pipeline do Ran Charan, o qual pode ser adaptado para diversos níveis, trabalhando para que as mudanças fluam e ocorram mais rapidamente tanto para os times quanto para os colaboradores individuais. E à medida que as pessoas evoluem, percebemos que as empresas  sofrem melhorias em seu negócio, passando a entregar resultados mais consistentes e a ter pessoas mais felizes, esse é o nosso propósito.


Nosso treinamento pode ser aplicado em 8 horas, podendo também ser personalizado para o tempo e as necessidades do cliente.

Entre em contato com um de nossos consultores para conhecer nossos cases e conversar sobre o treinamento da sua equipe!


Este artigo foi escrito a partir de um episódio do RiseCast. Confira também nosso podcast de mesmo tema:

A Rise Desenvolvimento Humano é uma empresa especializada em treinamento e desenvolvimento humano. Nós ajudamos empresas a conectar-se com seu verdadeiro propósito, mobilizando suas equipes através de treinamento e desenvolvimento. Construímos soluções de treinamento e desenvolvimento para que sua empresa trabalhe melhor e supere os resultados! http://risedh.com.br/

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.